quinta-feira, 29 de maio de 2008

Perspectivas económicas pioram, défice espreita

Banco de Espanha descreve como “pronunciada desaceleración” o andamento da taxa de crescimento do PIB homólogo, que passou de 3,5% no último trimestre de 2007, para 2,8% no 1º trimestre de 2008. Trata-se de uma desaceleração generalizada a todas as componentes da procura.

http://www.bde.es/informes/be/boleco/may2008/evo.pdf

Como é evidente, vai sobrar para Portugal. Não só Espanha é nosso principal parceiro comercial, como algum do desemprego português está disfarçado como emprego nas zonas de fronteira do país vizinho.

Se soubesse o que sabe hoje, Sócrates nunca teria descido o IVA. É divertido que ele tenha acusado de “levianas” as propostas de descida de impostos antes de saber como ia a economia no início de 2008. Tinha razão: foi leviano, sim senhor. E, diga-se, também incompreensível. Em termos eleitorais, os eleitores ligam à descida do IVA, mas querem lá saber em que mês ela é anunciada. Ao anunciá-la tão cedo (antes de conhecer a estimativa rápida do PIB do 1º trimestre) Sócrates arriscou muito, já que todos os sinais externos já eram bastante negros. Ainda por cima, o anúncio da descida do IVA muito antes da sua entrada em vigor tem um efeito negativo de atrasar algumas aquisições, que ficam à espera que o IVA baixe. Houve uma medida errada com um timing errado. Com a particularidade de que o timing certo (um pormenor não despiciendo) poderia ter justamente evitado a medida errada.

A probabilidade de o défice de 2008 ficar acima dos 2,6% de 2007 vai crescendo. Vai crescendo de tal maneira, com cada notícia que surge que, não tarda nada, a dúvida se vai ultrapassar os 3% vai-se colocar. Seria um fracasso económico e político estrondoso. Sócrates apresentar-se às eleições com as contas públicas outra vez descontroladas seria correr o sério risco de perder as eleições. Tudo por uma decisão errada (descida do IVA), tomada antes do tempo certo.

4 comentários:

Dimas Maia Pestana disse...

Ai, ai...

O comentário pelo comentário é desnecessário...

Ora vejamos:
-Se o iva não descer o "trocaste" é aldrabão, não desce os impostos...

-Se desce é leviano...

-Se anuncia algo está a tomar medidas antes do tempo, está a criar tumultos ou a congelar a actividade...

Meu caro, em que país vive vossa Ex.a.?

E se nenhuma das profecias do Prof. Karamba (ou, neste caso, Pedro Braz Teixeira) se realizar o que devo dizer da sua mensagem?

Será então altura para dizer:
Foi leviana, é incompreensível, é precipitada ou (simplesmente) é estúpida...

A menos que possua todos os dados que o P.M. possui e que tenha bem claro o que está a dizer sugiro que deixe o tempo actuar para tirar conclusões.

BASTA !

Cumprimentos.

Pedro Braz Teixeira disse...

A maior parte dos dados de que Sócrates dispõe são públicos, para além de serem públicas as previsões de um conjunto de instituições "ligeiramente" mais credíveis do que Sócrates.

Dimas Maia Pestana disse...

Essas instituições serão as europeias? aquelas que referiam que as contas do governo estavam erradas mas que passado um ano propoem que fecham os procedimentos por défice excessivo? ...
públicos são todos os dados mas só alguns têm a capacidade de os ler...

Pedro Braz Teixeira disse...

Estas instituições são, entre outros possíveis, bancos de investimento portugueses e estrangeiros, Banco de Portugal, Comissão Europeia, OCDE, FMI. Algumas delas são do melhorzinho do mundo, apenas.