quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Por uma vez

Junto-me à manada daqueles que, finalmente, por uma vez, estão de acordo com uma atitude do Pedro Santana Lopes, ao não terminar uma entrevista na SIC. Como se a irrelevante chegada de Mourinho perdesse alguma coisa com a transmissão em diferido.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Menezes e Salomão

O comportamento de Luis Filipe Menezes faz lembrar a velha história de duas mulheres que disputam um filho e vão pedir justiça a Salomão. Menezes faz lembrar a mulher que concorda que se parta o filho ao meio, não está minimamente preocupada que isso mate a criança.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Vergonha para o PSD

A APED entregou uma petição com 250 mil assinaturas pela liberalização dos horários das grandes superfícies. Porque é que as restrições sem sentido continuam em vigor? Porque, entre outras razões, os governos do PSD/CDS não os liberalizaram antes. Uma vergonha. Estas restrições (em nome de quê?) são do mais insuportável que existe, isto é intervencionismo no seu pior. Ainda por cima, completamente contra a evolução das famílias, com cada vez mais famílias monoparentais, com problemas de horários.
Esta liberalização, mesmo que venha a custar algum emprego no sector da distribuição tradicional (que a APED escamoteia), terá a vantagem de ter criado emprego (14 mil postos de trabalho segundo a APED) antes disso. Aliás podem ser os mesmos trabalhadores que se deslocam de um sector para o outro. De qualquer forma, a convergência do nível de vida em Portugal para a média da UE passa necessariamente pela alteração na estrutura produtiva, dos sectores tradicionais para os mais modernos.

Patético

Sócrates deve estar infectado pelo virus da Agenda de Lisboa, ou seja, quer compulsivamente debitar metas futuras ridículas, sem a mais vaga preocupação com a sua exequibilidade. Agora é a redução das emissões de CO2. Mais ridículo ainda, quer doutrinar os EUA sobre o que estes devem fazer. Parece que a UE também é cúmplice, como já o foi da Agenda de Lisboa. Como é possível não se darem conta de que escolher como porta voz o PM de um dos países que mais desrespeitam uma meta, há muito fixada, não podia ser mais ridículo. Portugal não vai cumprir as metas de Quioto sobre 2008-2012, mas exorta os EUA sobre metas para 2020!!!!
Se o ridículo matasse...

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Não vi e não gostei

Ontem houve um (o) debate entre Marques Mendes e Luis Filipe Menezes, infelizmente na SIC Notícias. Mau sinal nenhum dos canais de sinal aberto se ter prestado a receber a contenda. Deviam prever-se audiências baixíssimas. Não considero nada líquido que Sócrates ganhe as próximas eleições, nem sequer líquido que as dispute. No entanto, para a generalidade do burgo parece que estes concorrentes do PSD não vão a PM.
Menezes está ao nível de um Santana Lopes e estamos conversados. Mas o que me faz mais espécie é o Marques Mendes ter feito o diagnóstico correcto (a credibilidade do PSD está nas ruas da amargura após a fuga de Barroso e o desastre Santana Lopes); a indicação da terapia correcta (ganhar credibilidade); mas depois andar a tomar os medicamentos errados. Ou melhor, nem medicamentos são.
Só como exemplo, anunciar uma descida de impostos (uma medida de muito má memória no PSD) sem consultar a Dra. Manuela Ferreira Leite parece-me um erro incompreensível. Se a credibilidade é para levar a sério, qual o sentido de não preparar as propostas do PSD sobre finanças públicas com o melhor da prata da casa? Será que estava com medo de ouvir um não? Então em vez de ouvir um não privado ouviu um não público, muito mais humilhante.
Insisto: o PSD precisa mesmo de ganhar credibilidade e não apenas de o dizer.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Lido e comentado

At Banco Popular, Roberto Higuera, chief financial of-ficer, said: “This is not a liquidity crisis. It is a crisis of confidence. No one knows who is holding subprime risk. The only thing I can tell you is that it is not in Spain.”
Copyright The Financial Times Limited 2007

De facto parece-me que o problema principal não é o facto de haver perdas associadas ao mercado subprime dos EUA. O problema é mais o de saber onde estão essas perdas e quais os montantes envolvidos.

Parece claramente que estamos perante um problema de regulação, que terá talvez mesmo começado com um excesso de regulação, que levou os bancos a fugir para outras paragens menos regulados, onde estão agora os problemas, que continuam a afectar a zona regulada.

Será que se pode falar em falta de visão dos reguladores, que não viram para onde os bancos se iam escapar?

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

A Paris

Um dos aspectos mais impressionantes de Paris é a sua monumentalidade e, sobretudo para um lisboeta, a densidade e importância dos edificios anteriores ao século XVIII. Quando me lembro do disparate da intervençao na Casa dos Bicos, esse rarissimo exemplar de arquitectura civil anterior ao Terramoto...

Outra triste conclusão é o dinamismo do século XVII em França comparada com Portugal. Atrasos que vêem de longe...

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Dalai Lama

O PSD, sempre pronto para a mais descabelada demagogia nesta última oposição, está a perder a oportunidade de mais uma demagogia: criticar o PS por o governo não receber o Dalai Lama. É claro que poderia fazer esta crítica por demagogia, mas também por acreditar sinceramente que Portugal só tem a perder respeito por não se dar ao respeito de defender os nossos valores essenciais.

Certamente que tal afirmação teria algum custo dos lados de Belém, mas a verdade é que nesse palácio também não se escolheu a atitude mais nobre. E por isso, também há que se pagar as consequências.