segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Tomar nota

Em entrevista ao Público de hoje (sem link), Lucio Caracciolo, director da revista de geopolítica italiana Limes, diz, entre outras coisas:

“Nós, em Itália, também estamos a começar uma discussão sobre se o nosso país, antes de ser empurrado para fora [do euro], deve decidir por si próprio sair. Seria uma crise tremenda, mas criaria a possibilidade de usar a moeda para crescer, como fazíamos antes.”

1 comentário:

joao disse...

Pedro Braz Teixeira

Se existe nação que é a candidata natural a sair do euro é a Itália.
A divida que tem é local as trocas com a EU são menores dos que os restantes parceiros.
É o único dos grandes que, realmente, perdeu com a entrada no euro, vis à vis,dos seus principais concorrentes: França e Alemanha. Não cresceu ao mesmo ritmo que os seus concorrentes, aliás, é um dos países com a pior performance no mundo.
A diferença é que a Itália tem a mesma importância que a Califórnia tem nos EUA.
Acresce que, existem estudos que apontam para que, em caso de saída, a nova lira se desvalorizasse apenas, 15/20%
Pode ser uma solução....
Cumrpimentos
João